Neuropsicologia Joinville Blog

Novidades sobre o assunto

Comprometimento Cognitivo Leve na terceira idade

O envelhecimento é um processo através do qual indivíduos adultos saudáveis adquirem vulnerabilidade exponencialmente aumentada para doenças e a morte. Ao longo deste processo, parte dos indivíduos se torna frágil, ou seja, sua reserva homeostática diminui e seus sistemas tornam-se menos capazes de se adaptar a situações de estresse. As mudanças que ocorrem durante o envelhecimento tendem a ser deletérias para o indivíduo, tornando seus sistemas mais especializados e menos aptos a mudanças bruscas (Mattos e Júnior, 2010).

A modificação estrutural e funcional do cérebro é uma das mudanças que ocorrem durante o envelhecimento, seja ele normal ou patológico. Em conseqüência disso, os idosos normalmente apresentam alterações em algumas funções cognitivas, comparados aos adultos jovens.   É relativamente comum que idosos tenham velocidade de processamento diminuída, alterações de controle de impulsos, maior dificuldade com a memória de curto prazo, etc.

Na maioria dos casos, essas alterações cognitivas são normais, típicas do envelhecimento e não acarretam prejuízo significativo nas atividades cotidianas.  Por outro lado, há também a perda cognitiva patológica, normalmente associadas a demências, como Demência de Alzheimer, Demência Fronto Temporal, Demência Vascular, entre outras menos conhecidas.

Entre a perda cognitiva normal e perda cognitiva patológica, no entanto, existe um quadro chamado Comprometimento Cognitivo Leve - CCL (Mattos e Júnior, 2010; Nitrini 2012). O CCL é um estágio intermediário, que pode ou não evoluir para um estágio demencial. Os critérios diagnósticos para CCL são: 1. Paciente não dementado, porém não normal; 2. Evidências de deteriorização cognitiva para a idade (comparado aos seus pares) demonstrada por testes cognitivos e/ou por queixas subjetivas de declínio pelo paciente e/ou informante em conjunto com déficits cognitivos objetivamente demonstrados em testes; 3. Atividades de vida diária preservadas ou com comprometimento mínimo (Mattos e Júnior, 2010). Os subtipos de CCL são:

a) CCL amnéstico único: comprometimento significativo apenas da memória;

b) CCL amnéstico múltiplos domínios: comprometimento significativa da memória e de ao menos outra função cognitiva (linguagem, por exemplo).

c) CCL não amnéstico: comprometimento significativo de apenas uma função cognitiva que não seja a memória;

d) CCL não amnéstico múltiplos domínios: comprometimento significativo de mais de uma função que não a memória (funções executivas e linguagem, por exemplo).

Como exposto anteriormente, o Comprometimento Cognitivo Leve pode ou não evoluir para quadros demenciais. Por esse motivo, é altamente recomendável a busca de ajuda profissional onde há suspeita de deteriorização cognitiva anormal nos idosos. Os tratamentos disponíveis atualmente (medicamentos, por exemplo) podem diminuir as chances de uma progressão dos déficits cognitivos anormais ou até mesmo estancar essas alterações.

Para além do tratamento medicamentoso, existem várias opções que podem auxiliar a manter a resiliência cognitiva, entre as quais estão o exercício físico, engajamento social, lazer, novas aprendizagens (danças, instrumentos musicais, etc) e nutrição adequada (Malloy-Diniz end cols 2013). Essas opções de “tratamento”, aliás, também são úteis para adultos jovens, pois criam o que se chama de “reserva cognitiva”.

 

Referências:

Malloy-Diniz, L. F. and cols. Neuropsicologia do Envelhecimento: uma abordagem multidimensional: Artmed, Porto Alegre: RS – 2013

Mattos, P.; Júnior, C. M. P. pg. 247. In.  Avaliação Neuropsicológica. Artmed, Porto Alegre: RS – 2010

Nitrini, R. pg. 231. In. Manual de Neuropsicologia: Dos princípios à reabilitação. Atheneu, São Paulo: SP – 2012

 

 

 

 

 

 

Avalie esta postagem
Neuropsicologia Joinville